+351 289 393 666 info

Taxa de desemprego cai para 13% em abril

A taxa de desemprego estimada para o passado mês de Abril é de 13%, um valor que prolonga a tendência de redução deste indicador, que se regista sem interrupção desde o início do ano.

Terça, 23 Junho 2015 - Financiamento

A taxa de desemprego estimada para o passado mês de Abril é de 13%, um valor que prolonga a tendência de redução deste indicador, que se regista sem interrupção desde o início do ano.

O valor provisório agora publicado para Abril está 0,2 pontos percentuais abaixo do valor definitivo registado em Março, quando a taxa de desemprego foi de 13,2%. Este valor foi também revisto em baixa, já que há um mês era, na sua versão provisória, de 13,5%.

Estes valores da taxa de desemprego mensal publicados pelo INE estão corrigidos de sazonalidade. Isto é, descontam efeitos como o da criação mais forte de emprego temporário no Verão, por exemplo.

Os valores não ajustados de sazonalidade mostram uma redução mais acentuada da taxa de desemprego, de 13,4% em Março para 13% em Abril.

Depois de uma subida no final de 2014, os dados mensais publicados pelo INE apontam para o regresso a uma tendência de descida da taxa de desemprego em Portugal, que estava em 13,7% em Janeiro e passou para 13% em Abril (dados ajustados de sazonalidade).

Ainda assim, quando se olha para os dados publicados pelo INE em termos trimestrais, que não são ajustados de sazonalidade, registou-se no primeiro trimestre do ano uma subida da taxa de desemprego para 13,7%, contra 13,5% nos três meses anteriores.

A estimativa provisória para a população desempregada em Abril é de 667,8 mil pessoas, o que representa um decréscimo de 1,6% face ao valor definitivo de Março (menos 10,7 mil pessoas). E a estimativa para a população empregada é de 4 486,3 mil pessoas, mais 0,5% ou 22,1 mil pessoas do que no mês anterior.

A população desempregada diminuiu em todos os grupos analisados: adultos (7,3 mil) mulheres (7,2 mil), homens (3,5 mil) e jovens (3,4 mil).

Já a taxa de emprego dos homens (61,1%) excedeu a das mulheres (53,7%) em 7,4 pontos percentuais e ambas aumentaram relativamente ao mês anterior, em 0,4 pontos percentuais e em 0,2 pontos percentuais, respectivamente.

A taxa de emprego dos adultos foi de 62,8% e a dos jovens foi de 23,4%, com a primeira a aumentar 0,2 pontos percentuais e a segunda 0,6 pontos percentuais.

Fonte: Público